terça-feira, 31 de março de 2009

segunda-feira, 30 de março de 2009

Ministério de Louvor Barah - 29/03

video
Eu vejo a glória do Senhor


video
Te louvo em verdade


video
Deus de promessas

domingo, 29 de março de 2009

Na estrada com Deus (At.24:1-16)


No quarto século, um homem chamado Sarapion viajou do Egito a Roma, onde visitou uma crente idosa, conhecida por viver solitária. Aquela mulher raramente deixava seu pequeno quarto, o qual chamava de lar. Sarapion gostava muito de viajar e estava intrigado com seu modo de vida. Ele perguntou: "Por que a senhora está sentada aqui?" Ela respondeu: "Não estou sentada, estou numa jornada". Ela estava certa! Podemos não ter recursos ou disposição para navegar em alto mar ou visitar lugares longínquos, mas, se somos discípulos de Jesus Cristo, somos viajantes, somos peregrinos.
Na época medieval, escritores cristãos costumavam chamar os cristãos de "viajantes". Essa linguagem reflete o modo como os cristãos eram vistos nos tempos do Novo Testamento. Paulo se refere aos cristãos como "seguidores do Caminho". Os seguidores do Caminho não criam raízes permanentes. Eles têm propósitos maiores; estão sempre crescendo. Caminham com Cristo, que se identificou como sendo o único caminho para alcançar Deus (João 14:6). As Escrituras estão repletas de idas e vindas. O povo de Deus está sempre indo para algum lugar. Crentes não são escravos da rotina. Extraído .LPC


Rev. David Marques - pastoral 29/03

quinta-feira, 26 de março de 2009

É tempo de cura

“Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus e oprimido”. ( Is. 53. 4)

É tempo de nos associarmos a Jesus como O servo sofredor na sua resignação e perseverança. È tempo de cura das feridas espirituais do passado, que parece nos dar prazer de trazer à memória.

Retemos o perdão pelo nosso egoísmo, pela valorização do EU ferido. Nós, que sempre recorremos ao Amor Divino, buscando perdão para nossa faltas, fechamos nosso coração aos que nos ofendem e necessitam de perdão. Perdoar é restabelecer a comunhão com o ofensor, orar pelo seu bem estar, buscar a paz com o mesmo, ainda que ele não tenha recorrido a nós pedindo perdão, ou nem tenha mostrado arrependimento. È uma ação difícil de ser praticada e fácil de mais de ser fingida. Mas temos em Cristo o modelo a ser seguido.

Quando meditamos sinceramente nos sofrimentos de Jesus Cristo, no seu esvaziamento em nosso benefício para nos conquistar o perdão e a salvação eterna, somos motivados a imitá-lo e obedecê-lo abrindo nossa alma para perdoar os nossos ofensores. E quando alcançamos a graça de praticar o perdão somos curados das feridas causadas pelas ofensas.

Ao perdoar, somos os primeiros a ser beneficiados, pois o Espírito Santo nos confortará e nos consolará, e mais ainda, somos assim habilitados a obter a plenitude do perdão. Mas, não perdoamos os nossos ofensores, tão pouco o Pai nos perdoará as nossas ofensas. Dar e receber perdão é regra imposta pelo Senhor.

Tenho visto muitas pessoas buscando curas físicas e passageiras para suas dores, mas o Senhor quer nos curar definitivamente das enfermidades e feridas espirituais. O Senhor falou pela boca do profeta Isaias que:...Ele fez a ferida, e Ele vai curar... É tempo de cura, aproveite-o.


Rev. David Marques - pastoral 22/03